1. Os jornalistas mais interessantes não precisam trabalhar no veículo de maior visibilidade (ou que ofereça o maior salário). O jornalista tem que mudar mundo, ou pelo menos querer isso. Não o mundo inteiro, mas pelo menos o seu mundo. Eles trazem luz à ignorância e dão novos ares para a sociedade cansada. Não importa se as roupas são de grifes ou se estão passadas, contanto que tenha alguma bebida energética, como por exemplo o café, para o manter acordado.

2. Leitores de verdade se importam com a sua própria curiosidade. O rei da redação deve saber despertar esse sentimento. É um jogo de sedução, envolvendo charme e muita paciência, um processo semelhante ao início de um namoro que só acontece na cabeça de quem escreve. O resultado é satisfatório. Principalmente quando você ouve alguém comentando sobre aquela matéria cretina que deu o maior trabalho para elaborar.

3. Dane-se o camarote. O jornalista será tentado com diversas formas de jabás. Canetas, bloquinhos e outros presentinhos serão usados para cativar o repórter e conquistar aquela matéria positiva em destaque. O divertido mesmo é estar entre o povão e achar aquele personagem que foge do estereótipo e faz com que sua matéria seja comentada por dias (você só precisa torcer para não virar chacota)

4 Jornalista de verdade samba na cara do perigo. Entra nas palafitas, grava esquema corrupto com o apetrecho mais moderno e vai além da imaginação para desvendar qualquer mistério. Eminência de perigo é quase sinônimo de diversão para quem está na carreira (nem que seja descobrir aquela fofoca em off)

5. Quem julga pelas garrafas vazias em cima da mesa não tem ideia de quantas histórias legais dá para descobrir no bar. E o mais legal é que não há fonte melhor do que o garçom. Ele sabe a história de todo mundo e pode compartilhar com o camarada.

6. Celebridades? Se você seguir um jornalismo rosa terá contato com todos eles. Mas esse tipo de reportagem exige muito mais do que o cargo de Especialista em Big Brother Brasil pede. É preciso apurar, achar uma notícia, e não fabricar factoides. E claro, tem aquela vantagem de tietar bem de pertinho.

7. Fontes fúteis são armadilhas de Satanás. Ao contrário das celebridades, as sub-celebridades em ascensão farão de tudo para estampar sua revista/jornal/site… Ainda mais se for em TV. Parafraseando a Irmã Sofia, sua carreira vale mais

8. Feriados, folga e dinheiro são coisas com as quais dificilmente você terá um contato intimista. Em compensação, sua vida será recheada de outras qualidades deliciosas, como a satisfação pessoal, como os comentários da sua tia, gabando-se por ter um sobrinho jornalista (ó, que chique!)

9. Não fique a vida inteira dentro da redação. As notícias não acontecem dentro da sua sala. Como o motorista do Ricardo Kotscho disse uma vez “lugar de repórter é na rua!”. E se não tiver tempo no horário, duplique a dose da regra 5.

10. Respeito é bom, e todo mundo gosta. Apesar dos jornalistas terem o poder da caneta, não significa que são os donos da razão. Lidar com diferenças ideológicas da forma mais civilizada possível é essencial para o foca.