Você já se imaginou cobrindo algum evento esportivo de um esporte desconhecido? Com certeza a dúvida é sempre a mesma: será que eu daria conta? Pois bem, o Coisas de Jornalista listou pra vocês, lindos leitores, algumas modalidades pouco conhecidas e que a imprensa costuma não abordar. Além disso, também apontamos um dos motivos por deixar estes esportes em terceiro plano é o fato da audiência não ser tão boa e os índices de ibope despencarem.

Claro que isso varia de país e de cultura. Por exemplo, no Brasil, entre transmitir um campeonato de futebol a um de basquete, a maioria das emissoras escolherão o futebol. Isso, porque o país já carrega uma tradição que tende a escolher o futebol como seu principal esporte. Em contra partida, os norte-americanos são capazes de trocar uma Copa do Mundo por um Mundial da NBA. Por isso, antes de escolher o jornalismo esportivo e até a modalidade para suas futuras coberturas, analise as oportunidades. Existem dois fatores primordiais a serem levados em consideração:

1. Os esportes conhecidos são muito importantes porque, além de ser facilmente compreendido, há também muitas competições rolando a todo momento. Usando o futebol como exemplo de novo, existem diversas divisões do campeonato brasileiro portanto, além de saber tudo sobre as regras, você terá muito mais trabalho pela frente. E isso é uma forma de se colocar no mercado, de se mostrar aos grandes veículos de comunicação e etc.

2. O lado bom de cobrir o evento de uma modalidade pouco aventurada é que você entra de cabeça, estuda, se aprofunda e SURPRESA: se torna especialista. Já pensou ter seu nome como primeira opção quando alguém quiser falar sobre Rugby, Olimpíadas dos Trenós (sim, existe) e até Bocha? Pois é. Então, quando for escolher sua modalidade preferida, não se esqueça das infinitas oportunidades que os novos podem te abrir. Para cobrir campeonato brasileiro e Copa do Mundo existem, pelo menos, 1 milhão de jornalistas, mas Ginásticas Olímpica e Curling (o famoso jogo da chaleira) existem poucos. É melhor estar entre os muitos e ser notado de vez em quando ou estar entre os poucos e se destacar sempre? Mas ó, não deixe de lado a pegada cultural do seu país. Entender sobre novos esportes é muito bom, mas saber sobre vôlei, futebol, tênis e fórmula 1 é essencial.

Atualmente, a procura pela especialização em determinados esportes vem crescendo. Dentre eles, estão o Vôlei, Basquete, Tênis, Tênis de Mesa, Fórmula 1, e Jogos Olímpicos (todas as modalidades). Porém, vou lhes contar um segredo: sabe qual é a chave pra se obter o sucesso nestas coberturas? empenho. Exatamente! Aquele ditado de que a vida ensina é verdadeiro, rs. Quanto mais você assistir, acompanhar e buscar referências, mais você saberá. Um curso se tratá o lado teórico e até histórico, mas a experiência e a convivência com aquilo, somente o dia a dia, o cotidiano e o contato exagerado!

Por fim, um conselho de amiga: não tenha limites. Respire, durma, coma, acorde, viva o esporte. Quem não vive 100% para algo que ama, nunca será de fato completo. Deixo pra vocês, uma frase que li e que muito particularmente me inspira: “Se você não ama algo, não vai andar um quilômetro extra, não vai trabalhar um fim de semana extra e nem vai desafiar tanto o comum”. Ame a sua profissão e escolha com carinho seus caminhos

Não desperdice as oportunidades mas tenha discernimento para saber o que valorizará teu trabalho. Seja excelente em tudo o que fizer e não tenha medo de se aventurar, como está destacado na imagem! Se assim o fizer, independente do esporte ou da modalidade a ser noticiada, você será uma pessoa reconhecida e de sucesso!